Portal da Cidade Foz

Fotografia

Fotógrafos iniciam novos registros do céu noturno nas Cataratas do Iguaçu

Os fotógrafos utilizam a técnica da longa exposição. O sensor da câmera necessita de mais tempo para captar a imagem.

Publicado em 23/06/2022 às 10:37

(Foto: Adriano Kirihara/Divulgação)

(Foto: Adriano Kirihara/Divulgação)

Os mistérios do céu e das estrelas das cidades de Foz do Iguaçu (Brasil), Puerto Iguazú (Argentina) e Ciudad del Este (Paraguai) ganharão novos registros fotográficos, a partir deste ano, com o projeto de Workshop Fotográfico do jornalista e fotógrafo Adriano Kirihara. Apaixonado pela natureza e cultura da fronteira, o profissional lançou sua primeira aula presencial com sete alunos, que puderam captar cenas exclusivas do céu noturno da fronteira.

Nem a chuva, nem o céu nublado e o frio que deram as caras em Foz do Iguaçu, no mês de maio, período das aulas, impediram que o grupo pudesse vivenciar fantásticas experiência e registros especiais. “Fotógrafo de natureza tem que estar preparado e entender o que está acontecendo. Vamos mapear o céu da fronteira em diferentes estações, com seus rastros de estrelas. Estamos apenas no começo de um trabalho fotográfico”, revelou Kirihara.

Como são realizados os registros

Os fotógrafos utilizam a técnica da longa exposição. O sensor da câmera necessita de mais tempo para captar a imagem. Geralmente essa técnica é utilizada em ambientes com pouca luminosidade. É uma mistura de conhecimento com técnica e muita paciência para conseguir iniciar um trabalho de astrofotografia. 

Durante o curso, os alunos também aprenderam a técnica dos rastros de estrelas, em inglês, mais conhecida no mundo da fotografia pelo termo star trail. São fotografias de longa exposição, com duração de várias horas, em que as estrelas riscam o céu, enquanto o profissional de fotografia gira, com o movimento de rotação do planeta Terra.

O grupo foi composto por nove pessoas, sendo o professor Adriano Kirihara, o guia de turismo Marcelo da Rocha e mais sete alunos de fotografia de diferentes cidades do Brasil, que vieram a Foz do Iguaçu aprimorar conhecimento nesse segmento da fotografia. 

Experiências

Para Ana Taemi, fotografar estrelas em Foz do Iguaçu foi um sonho. “Ver as estrelas aqui na fronteira, sentir esta energia e escutar o som das águas da noite é uma experiência para ser registrada muitas vezes. É muita magia em um único lugar. Contemplar as estrelas nas Cataratas, o silêncio à noite... É indescritível.”

Já Flávia Pelloso ficou surpresa com a experiência fotográfica do Marco das 3 Fronteiras. “Foi uma vivência muito especial. Um lugar que nos faz voltar na história através de sua arquitetura, aconchego, união de todos os povos. E o que é mais legal: pudemos registrar tudo isso neste workshop que proporcionou experiências durante o dia e à noite.”

Luiz Kazuyoshi Assao, amante da fotografia, disse que a cidade tem um céu especial. “Não é por acaso que o Marco das 3 Fronteiras é o lugar mais charmoso de Foz do Iguaçu. Visão privilegiada. Este local precisa ainda ser mais visto, revisto e fotografado.” 

Segundo José Pireni, o Marco das 3 Fronteiras e o Parque Nacional do Iguaçu são dois cenários fotográficos incríveis no Brasil. “Poder registrar estes dois lugares fora do horário de visitação, à noite, foi incrível.” 

Quem também se empolgou com a experiência foi o Alex Silvestre Gonzaga. De acordo com ele, sempre foi um sonho registrar a experiência em Foz do Iguaçu. “Fotografar à noite as Cataratas e o Marco das 3 Fronteiras foi incrível. Uma experiência gratificante para a vida.”

Acesso fotográfico noturno ao Parque Nacional do Iguaçu e Marco das 3 Fronteiras

Para realizar esse tipo de atividade, o profissional de fotografia precisa submeter uma solicitação, descrevendo a importância do projeto, e contratar um guia local para acompanhamento durante toda a permanência no parque e Marco das 3 Fronteiras. As solicitações devem ser encaminhadas com antecedência para apreciação e análise técnica. 

Profissional

Adriano Kirihara é jornalista especializado em fotografia documental. Participou de diversas expedições para documentar a fauna, flora, paisagens e modo de vida dos povos e comunidades do Brasil. Suas fotos ilustraram publicações como a revista Exame, Fotografe Melhor e National Geographic Brasil, livros didáticos das editoras FTD, Moderna Editora do Brasil e Editora Ática, entre outras. Já trabalhou como editor na TV Fronteira, em Presidente Prudente, e como repórter na TV Grande Rio, em Petrolina, no interior de Pernambuco – ambas afiliadas da Rede Globo.

Informações sobre o nosso visitante e profissional da fotografia:

https://adrianokirihara.com.br/

Instagram: @adrianokirihara

Facebook: @adrianokiriharafotografias


Fonte:

Deixe seu comentário