Portal da Cidade Foz

Cidade

Foz já registrou 11 casos de raiva em morcego; saiba como evitar a doença

É uma situação que exige cuidado porque a doença é grave e pode ser transmitida para humanos e animais domésticos.

Postado em 23/05/2019 às 18:05 |

Zalmir Cubas alerta que não se deve tocar em animais desconhecidos de jeito nenhum. (Foto: Alexandre Marchetti)

(Foto: Ilustrativa/Pixabay)

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Foz do Iguaçu já registrou neste ano 11 casos de morcegos infectados com o vírus da raiva. A tendência é que o número cresça no verão, quando começa a fase de reprodução dos animais. É uma situação que exige cuidado porque a doença é grave e pode ser transmitida para humanos e animais domésticos e de produção.

O médico veterinário Zalmir Cubas explica que os morcegos infectados, ao desenvolver a doença, apresentam sinais de excitabilidade e paralisia nas asas. Por isso, encontrar morcegos no chão ou no forro de casas, com dificuldade de voar, é indicativo de que possam estar contaminados com o vírus da raiva.

“Se você encontrar um morcego nesta situação, não toque no animal de jeito nenhum”, alerta Cubas. A orientação é entrar em contato imediatamente com o Centro de Controle de Zoonoses (pelos telefones 3524-8848 e 9 9997-4448) e avisar sobre a localização do morcego. O animal será capturado e levado para exame.

O médico veterinário acrescenta que a raiva afeta morcegos hematófagos e não hematófagos (frugívoros). A transmissão da doença para outros animais pode ocorrer por meio de mordida, arranhadura ou lambedura. Como o vírus está presente na saliva, deve-se evitar o contato com qualquer animal desconhecido (incluindo cães e gatos).

Em caso de acidente, ou seja, se a pessoa for mordida por um animal desconhecido, a recomendação é lavar bem o ferimento com água e sabão. Em seguida, a vítima deve procurar o serviço de saúde do município (UPA), para avaliação médica e vacinação antirrábica e/ou soroterapia.

Profissionais que lidam com animais, como médicos veterinários e biólogos, precisam receber a vacinação antirrábica com maior frequência, para desenvolver e manter anticorpos.

E os animais de estimação?

Em relação aos animais de estimação, é importante mantê-los vacinados (uma vez por ano), castrados e dentro de casa, nunca soltos na rua. O Centro de Controle de Zoonoses aplica a vacina em cães e gatos, gratuitamente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. O endereço é Avenida Maceió, 1511 (Jardim Ipê III). O CCZ também pode esclarecer dúvidas sobre a doença por telefone (3524-8848 e 9 9997-4448) ou por e-mail (cczfozzoonoses@gmail.com).

Fonte:

Deixe seu comentário