Portal da Cidade Foz

Hidratação

Startup vai oferecer água de qualidade e gratuita em locais públicos da Vila A

A estação de hidratação objetiva fornecer água de qualidade, gratuita, para consumo em ambientes públicos, como praças ou parques, algo comum pelo mundo.

Postado em 13/10/2021 às 14:43

(Foto: Divulgação/Icehot)

No início de setembro, foram anunciadas as seis primeiras empresas que participarão do Programa Vila A Inteligente para instalar, testar e validar suas tecnologias, no Bairro Itaipu A, o primeiro e maior bairro Sandbox do Brasil.

Uma dessas startups, a Icehot, é pioneira no Brasil em desenvolver estações de hidratação específicas para espaços públicos. A estação de hidratação objetiva fornecer água de qualidade, gratuita, para consumo em ambientes públicos, como praças ou parques, algo que já é bastante comum nas principais capitais do mundo.

A Icehot, de Bento Gonçalves (RS), é uma empresa que já está consolidada no mercado e desenvolve equipamento de hidratação inteligente para espaços públicos que disponibilizam água (em temperaturas normal, quente e fria) para pessoas e pets.

 Programa Vila A Inteligente

O primeiro equipamento será instalado até novembro e se encaixa perfeitamente ao propósito do Programa Vila A Inteligente, que é pensar a tecnologia como um meio para o bem-estar social e a melhoria da qualidade de vida da comunidade.

Os moradores e os turistas poderão usufruir desse equipamento que, além de trazer conforto, diminui a necessidade da utilização excessiva de materiaisplásticos já que garrafas de água deixam de ser compradas e podem ser reutilizadas para o consumo.

Segundo Alex Sander Oliveira, diretor comercial da IceHot, a principal demanda vem das prefeituras que encontravam dificuldades para disponibilizar água de qualidade em ambientes públicos.

“Muitas prefeituras tentaram fazer algo parecido, mas esses equipamentos precisam ser aprimorados e de manutenção regular. Nossa empresa é especializada nesse trabalho. Cada região tem demandas bem específicas”, explicou Alex Sander.

De acordo com o Alex, ao longo de 3 anos de experiência em várias cidades, foi possível receber feedbacks para desenvolver diferentes soluções.

“Começamos oferecendo água gelada e quente, pois nossa região tem muito consumo de chimarrão. Aos poucos as pessoas começaram a sugerir que também tivesse água natural e um espaço para hidratar pets. No Mato Grosso desenvolvemos um equipamento que também funciona como umidificador refrescante, com borrifador de água que produz um vento refrescante. No litoral, desenvolvemos um chuveiro para tomar banho e lavar os pés”, disse Alex Sander.

 Tecnologia e bem-estar social

Para o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, o Vila A Inteligente não se trata apenas de um bairro tecnológico, mas um ecossistema que contribui para o desenvolvimento de um bairro, com tecnologias que possam melhorar a qualidade de vidas das pessoas, atendendo demandas e solucionando problemas reais.

“As tecnologias instaladas e testadas no Bairro Itaipu A visam melhorar a qualidade de vida das pessoas, gerando bem-estar social. Além dessa tecnologia à disposição da comunidade, estamos vendo o interesse de mais empresas virem para Foz, diversificando nossa economia, gerando mais empregos e renda”, disse o general Eduardo Garrido.

 Edital Smart Vitrine

A ideia de participar do Edital Smart Vitrine, em um primeiro momento, não cativou os sócios da IceHot. Por ser uma empresa já consolidada no mercado, a primeira conclusão foi que o edital não agregaria muito. Contudo, ao avaliar com calma os detalhes do projeto, a opinião dos sócios mudou.

“Nós soubemos do edital através de um amigo, mas a princípio não nos interessou pois temos um produto em escala e validado. Porém, vimos a proposta do Programa Vila A Inteligente e a oportunidade de abrir uma porta para mercado de Smart Cities. Pensamos na perspectiva de aprimorar ainda mais a tecnologia de nossos equipamentos. Por exemplo, conseguir a água sem o toque manual no equipamento ou investir mais em leitura de dados e estatísticas, explicou Alex Sander.

A expectativa é aprimorar ainda mais esses produtos, utilizando a vitrine do SandBox, para se integrar com outras cidades que estão pensando em utilizar tecnologias para melhorar a qualidade de vida de suas populações.

Fonte:

Deixe seu comentário

Outras notícias

Mais Lidas