Portal da Cidade Foz

cultura

Mural “A Lenda das Cataratas” será ponto de encontro de moradores e turistas

Obra neoguarani a céu aberto, do artista Miguel Hachen, foi entregue para a comunidade.

Postado em 20/12/2018 às 12:27 |

(Foto: Marcos Labanca)

(Foto: Marcos Labanca)

(Foto: Marcos Labanca)

Foi inaugurado nessa quarta-feira (19), o mural “A Lenda das Cataratas”, de autoria do artista plástico iguaçuense Miguel Hachen. Instalada na Praça da Paz, na região central de Foz do Iguaçu, a obra a céu aberto foi realizada como o apoio do Fundo Iguaçu.

Participaram do evento de inauguração o autor, gestores públicos, dirigentes do Fundo Iguaçu, integrantes da Gestão Integrada do Turismo, artistas e empresários. Moradores e turistas também prestigiaram a solenidade e contemplaram o monumento cultural. 

No evento, o prefeito Chico Brasileiro (PSD) afirmou que o mosaico “A Lenda das Cataratas” será um ponto de encontro em Foz do Iguaçu. “Esse painel vai expressar a nossa cultura e a nossa história para o mundo. Será um ponto de encontro para as famílias, turistas e iguaçuenses”, frisou.

Brasileiro destacou ainda o empenho do artista Miguel Hachen e de outros colaboradores que ajudaram na elaboração do mural. “É um presente de Natal para Foz do Iguaçu, pois é um trabalho não apenas para o hoje como também para o futuro de nossa cidade”, apontou o prefeito.

Integração entre turismo e cultura

Presidente do Fundo Iguaçu, Carlos Silva ressaltou a relação entre a cultura e o turismo para atrair novos visitantes e promover a qualidade de vida da população de Foz do Iguaçu. Ele lembrou o trabalho conjunto das instituições que integram a Gestão Integrada do Turismo para a realização do mosaico.

“A inauguração dessa obra de arte na praça pública mostra que o turismo atua cada vez mais integrado e próximo à comunidade”, expôs Carlos Silva. “Encerramos em alto nível esse ano, que foi cheio de conquistas e realizações para a cidade, especialmente para o nosso turismo”, disse.

Silva agradeceu a cada uma das instituições que integram o Fundo Iguaçu, por meio dos presidentes das respectivas entidades. “São pessoas que desde o primeiro momento, quando o projeto foi apresentado, aprovaram e apoiaram a realização dessa obra para a comunidade iguaçuense”, salientou.

O secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla, contou que a inauguração do mural “A Lenda das Cataratas” representa a concretização de um sonho de anos atrás. O gestor afirmou que o painel será tombado como patrimônio cultural de Foz do Iguaçu.

“É uma obra que tem o talento de Miguel Hachen e também a mão e o olhar de artistas de vários países”, enfatizou Gilmar Piolla. “Esse trabalho é uma grande contribuição que se tornará uma atração cultural e turística em Foz do Iguaçu”, avaliou.

Intérprete da cultura da região

Há mais de duas décadas desenvolvendo no Brasil e em outros países o neoguarani, uma linguagem artística e cultural própria, Miguel Hachen se considera um intérprete da cultura que surgiu do encontro entre os indígenas e os povos que se estabeleceram nas Três Fronteiras.

“A linguagem plástica neoguarani é o resultado de minha interpretação sobre a integração entre as culturas guarani com a dos povos colonizadores. Esse é o conceito artístico que venho desenvolvendo na região e em outros lugares há quase 23 anos”, explicou.

Entre artistas colaboradores, pedreiros e estudantes de arte, 15 pessoas vindas do Brasil, da Argentina e do Paraguai contribuíram para a realização da obra artística.

Conceituação da obra

“O mural A Lenda das Cataratas, de 170 metros quadrados, é uma alegoria de um relato de sucessos fantásticos que narra a formação das Cataratas do Iguaçu e que tem como protagonistas a Naipi, o Tarobá e a deusa-serpente M’Boicy, que aparecem cercados pela flora e a fauna regional”, explicou Miguel Hachen.

Na lateral esquerda da arte se vê o Rio Iguaçu antes da formação das cachoeiras. Na outra lateral se apreciam as cataratas já formadas. “Sob o efeito da evocação poética e da imaginação popular, a Lenda das Cataratas atravessou o tempo e, convivendo com a memória e a fantasia, manteve viva a tradição que afiança as qualidades intangíveis da nossa cultura e exalta os atributos da paisagem mais significativa da região”, detalhou Hachen.

Para o artista, ao se associar turismo com expressões artístico-culturais, institui-se uma referência de vanguarda que irá contribuir para fortalecer o destino. “Essa obra, monumental e perene, além de complementar a revitalização da Praça da Paz, incrementará o patrimônio cultural e, ao incluir-se uma obra mural no roteiro turístico, se abrirá um novo canal de comunicação com turistas e a população local”, refletiu Miguel Hachen.

Fonte:

Deixe seu comentário