Portal da Cidade Foz

educação

Projeto de extensão da UniAmérica vai atender associações carentes de Foz

Todo semestre a universidade vai atender de forma voluntária uma solicitação de associações carentes.

Postado em 12/11/2019 às 13:47 |

(Foto: Divulgação)

O curso de Engenharia Elétrica da UniAmérica Centro Universitário iniciou um novo projeto de atendimento gratuito à comunidade. Todo semestre o curso vai atender de forma voluntária uma solicitação de associações carentes de Foz do Iguaçu envolvendo reparos elétricos.

Como participar?

As instituições com cunho social podem cadastrar a demanda pelo Portal de Desafios e Soluções para os próximos semestres. Nesse projeto, o solicitante entra com os recursos de equipamentos e a UniAmérica com o planejamento e execução das atividades necessárias de reparo elétrico. Todas as demandas serão avaliadas e selecionadas de acordo com a viabilidade.

Primeiro atendimento

O projeto já se iniciou neste semestre com a Apasfi - Associação de Pais e Amigos dos Surdos de Foz do Iguaçu, onde cerca de 10 alunos e professores desenvolveram os reparos. Dentre as ações realizadas na Apasfi, foram: colocação de holofotes na fachada e energia na quadra, troca dos disjuntores, troca de tomadas e lâmpadas, conserto dos luminosos entre outros.

De acordo com a pró-reitora de relacionamento Lúcia Makhlouf, esse projeto “além das horas complementares para os alunos, traz o benefício do processo de aprendizagem na prática, de conexão com a teoria, e mais ainda, é o ganho como cidadão nesse processo de voluntariado”.

A troca de experiência, o aprendizado e o voluntariado foram os benefícios que mais marcaram o estudante Jeliardi Marcarini, de Engenharia Elétrica. “Foi uma atividade nova para mim e muito produtivo no quesito de ver as necessidades do próximo. Aprendi muito na hora e pude estar em contato direto com o que vou presenciar no futuro”, finaliza.

“Esse tipo de ação faz bem ao ser humano, tanto para a instituição quanto para o aluno que vê na prática o resultado do seu esforço e estudo”, comenta a coordenadora do curso de Engenharia Elétrica Luciana Paro Scarin Freitas.

Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas