Portal da Cidade Foz

educação

UNILA, UFPR, UTFPR e IFPR discutem corte orçamentário com parlamentares

Na UNILA, o corte de R$ 14,2 milhões representa 41,27% sobre os investimentos de custeio.

Postado em 14/05/2019 às 14:26 |

(Foto: Divulgação)

Os reitores da UNILA, UFPR, UTFPR e IFPR reuniram-se, na segunda-feira (13), com os parlamentares da bancada federal paranaense para debater os cortes orçamentários realizados pelo Ministério da Educação (MEC). No encontro, realizado na reitoria da UFPR, em Curitiba, os reitores apresentaram dados referentes a orçamento, ensino, pesquisa e extensão, para contextualizar o impacto que essa medida governamental pode causar se não revertida. Juntas, as quatro instituições federais de ensino superior somam quase 100 mil estudantes.

Ao abrir a reunião, o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, destacou que o investimento nas universidades federais é importante para a soberania nacional, a formação de excelência das futuras gerações, o aumento da qualidade de vida da população e o próprio desenvolvimento pleno da economia nacional, além do avanço de novas tecnologias para a agricultura no Paraná.

“Considero um grave equívoco opor a importância do ensino superior brasileiro com a necessidade, que ninguém nega, de incentivo à educação infantil e básica. A universidade não é contra a educação básica; aliás, é uma das responsáveis pela formação dos professores do setor de educação. A educação é um valor fundamental e precisa ser fomentada em todos os seus níveis, pois têm finalidades diferentes”, disse.

Em sua fala, o reitor da UNILA, Gustavo Oliveira Vieira, reiterou a necessidade de a universidade ser vista como parceira da educação básica e do combate às notícias falsas. “Uma pesquisa com nossos estudantes mostrou que 52% deles eram os primeiros a ingressar no ensino superior de todo seu núcleo familiar. Outra pesquisa, realizada pela Andifes, apresenta que grande parte dos alunos provém das classes C, D e E. É nossa obrigação trabalhar pela produção de conhecimento estratégico para a soberania nacional.”

Na UNILA, o corte de R$ 14,2 milhões representa 41,27% sobre os investimentos de custeio, originalmente previstos em R$ 34,5 milhões. Dos R$ 14,2 milhões, R$ 1,9 milhão está relacionado a investimento e R$ 12,3 milhões, a custeio.

O reitor da UTFPR, Luiz Alberto Pilatti, salientou que a instituição tem 13 campi em diferentes cidades e que 70% de seus alunos estão no interior do Estado. “A história da educação desse País mostra que, na década de 1960, o Brasil tinha a melhor educação básica e pública da América Latina, e esse sistema foi destruído; algo semelhante ao que está acontecendo hoje com a educação superior, que produz pesquisa, mas está sendo reduzida à manutenção de despesas básicas.”

Odacir Antonio Zanatta, do IFPR, explicou que 50% das vagas do Instituto são ofertadas para o ensino médio, principalmente para cursos técnicos integrados e 20% para licenciaturas. “Nós fazemos parte da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica que agrega 41 instituições de ensino, somando cerca de um milhão de estudantes, dos quais 76% (760 mil) têm até um salário mínimo e meio de renda familiar”, afirmou.

Parlamentares

Álvaro Dias (Podemos), Flávio Arns (Rede) e Oriovisto Guimarães (Podemos), os três senadores eleitos pelo Paraná, estiveram presentes à reunião e manifestaram seu apoio contra o corte orçamentário realizado. “Não podemos concordar com esse corte abrupto, sem diálogo. Nós sabemos a importância dessas universidades federais para o nosso Estado, por isso somaremos esforços para buscar uma solução para esse problema por meio do diálogo e do esforço comum”, sinalizou Guimarães. Corroborando, Dias subscreveu o apoio às universidades e salientou: “É necessário estabelecer prioridades para este contingenciamento, verificando em quais áreas existem desperdícios e cortando o montante que cabe a ele.”

“Vamos insistir no aspecto do diálogo e em explicar para a sociedade, junto com os reitores, o que está acontecendo. Não se pode desqualificar instituições de ensino superior. Ao contrário, deve-se valorizá-las. Considero essencial essa reunião para agirmos em conjunto e discutirmos outros caminhos para seguir”, manifestou Arns.

Dos integrantes da bancada de deputados paranaenses, participaram da reunião Rubens Bueno (Rede), José Carlos Schiavinato (PP), Gustavo Fruet (PDT), Luciano Ducci (PSB), Sérgio de Souza (MDB), Luizão Goulart (PRB), Reinhold Stephanes Jr. (PSD), Aliel Machado (PSB), Toninho Wandscheer (PROS) e Leandre Dal Ponte (PV).

Avaliando a reunião após seu encerramento, o reitor da UNILA, Gustavo Oliveira Vieira, disse que o número de integrantes da bancada paranaense presentes à reunião foi significativo. “Os representantes do povo no Congresso, em uníssono, entenderam a necessidade de apoiar as universidades federais neste momento crítico”, afirmou Vieira. “Todos posicionaram-se do nosso lado, e sobre o mal que está se fazendo com essa estratégia de jogar a sociedade contra as universidades. Reforçaram que as universidades são importantes equipamentos públicos em favor da estratégia para o desenvolvimento da nação brasileira e o quanto é importante garantir recursos para as instituições”, relatou o reitor. Ainda segundo ele, os “senadores franquearam um caminho em busca de um diálogo” com o Ministério da Educação.

Fonte:

Deixe seu comentário