Portal da Cidade Foz

Eleições 2020

Paulo Mac Donald quer reduzir o número de radares no trânsito iguaçuense

O candidato a prefeito pelo partido Podemos busca governar a cidade pela terceira vez e é o sexto entrevistado da série promovida pelo Portal da Cidade.

Postado em 13/10/2020 às 14:12 |

(Foto: Portal da Cidade)

0:00
0:00

Único prefeito a ter dois mandatos consecutivos em Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi governou a cidade entre 2005 a 2013. Na última eleição municipal, em 2016, concorreu novamente ao cargo de prefeito, foi o mais votado nas urnas, mas teve a candidatura cassada pela justiça eleitoral, devido a situações de improbidade administrativa quando foi prefeito.

Os direitos políticos perdidos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foram recuperados pelos advogados, que conseguiram convencer os juízes de que não havia irregularidades na administração de Paulo. Agora, aos 72 anos e pelo partido Podemos, tenta ser prefeito pela terceira vez e garante que desta vez sua situação está completamente legal. Sua candidata a vice é a policial federal Bibiana Orsi, do Partido Progressista (PP). Os dois partidos, além do Democratas, formam a coligação Quem Ama Cuida.

Paulo Mac Donald Ghisi é o sexto entrevistado da série com os candidatos, promovida pelo Portal da Cidade. Leia abaixo os principais trechos da entrevista e ouça na íntegra o áudio dela.

Como o senhor recebeu a notícia do pedido de impugnação de sua candidatura recentemente pelo Ministério Público?

Isso é assunto superado. Foi uma decisão de 2016, que tirou os meus direitos políticos, anulou uma eleição e eu recuperei esses direitos políticos recentemente. Devolveram, fizeram um julgamento e viram que, absolutamente não teve nada. Mas eu faço questão de explicar para o povo entender o temporal que eu estou metido porque eu quero. Porque não preciso da política pra nada. Tenho minha profissão, vivo dela e todas as minhas campanhas paguei com dinheiro próprio.

O meu secretário de Planejamento mandou para o Departamento de Compras, da Secretaria de Administração um pedido para contratar alguém para acompanhar os projetos em Brasília. O Brasil tem 5.568 municípios. Tem projeto, por exemplo, de habitação. O municípios mandam o projeto e pedem dinheiro. Tem projeto pra construção de creche, pra escola, pra posto de saúde, pra UPA, para hospital, para equipamento de hospital. Então, tem pilhas de pedidos. Vai primeiro para engenharia. A engenharia vê se está tudo certo, se está tudo ok, se a documentação está certa, se o projeto é viável. Isso leva até três meses. Depois vai para o jurídico, pro setor financeiro. Tem projetos que podem levar até oito anos para ser aprovado. Aliás, grandes obras que estão sendo executadas agora, foram conquistadas ainda no nosso governo, por esse intermédio.

Aí aprovou. Como o valor estimado era de R$ 60 mil por ano, e o limite para licitação é de R$ 80 mil. Mais de 80 mil, você faz licitação, menos de 60 mil você faz carta-convite. Então, ele fez carta-convite e deu 60 mil reais. Chegou o final do ano, como os projetos estavam andando, pessoal trabalhando, o secretário pediu para prorrogar mais um ano. Veio o parecer da Procuradoria, pro prefeito municipal que era eu, dizendo que estava ok, que poderia ser prorrogado. Quem entende de contrato e licitação não é o prefeito. Senão não precisaria ter procurador, advogado, secretário. Aí passou de 60 e foi para 120 mil reais. Disseram que ultrapassei o limite, deveria ter feito licitação porque ultrapassou os 80 mil. Mas, como? Depois da coisa andar disseram que eu fraudei a licitação. Única coisa que fiz foi homologar o contrato, e assinar o aditamento, com o parecer da Procuradoria.

A oposição usa isso para me atacar. Mas, eu sou candidato. De lá pra cá a coisa mudou, os conceitos mudaram. Os juízes viram que não tinha nada a ver, devolveram meus direitos políticos. E eles continuam insistindo nisso. Eles contratam vídeos fakes, propaganda de tudo que é lado, mentiras.

Quais as suas primeiras medidas no seu governo, caso seja eleito?
Liberar a quantidade de alvarás que estão presos lá. Analisar todas essas multas absurdas. Arrumar médico para consulta com especialista, fazer convênios com médicos, hospital Costa Cavalcanti ou pagar por consulta. De cerca de 200 reais a consulta, tem mais de 29 mil pessoas na fila, esperando por uma consulta. Se você pagar 200 reais a consulta, serão gastos R$ 6 milhões, no máximo. Esses contratos da covid, que estão estourando no Brasil inteiro, a roubalheira que houve e que aqui também terão que ser verificados. Por exemplo, se você se formou médico esses dias, tem um consultório, eles fazem contrato com você de seis milhões de reais. Tem 15 empresas que não tinham nem CNPJ. Tinha empresa que o capital era de mil reais e contratou de três a cinco milhões de reais. Outra empresa contratou R$ 13 milhões, aí vai ver a sede da empresa é no apartamento onde ele mora. Eu paro com isso imediatamente, abro sindicância e vamos investigar e apurar os responsáveis.

Propostas para a Educação
Prepararia imediatamente as escolas e as creches. As escolas para recuperar os meses perdidos da educação aqui. Talvez a gente faça dois turnos, três ou duas vezes por semana. Ou aumenta o número de salas ou o número de alunos por sala. Mas aí eu coloco um monitor, um estudante de Pedagogia, de Letras ou Matemática/Português que vai pegar os alunos mais fracos e vai dar reforço. Em todo lugar do mundo tem a lei dos três terços. Um terço é bom, um terço é mediano e um terço vai mal. Então, se pegar esses monitores e aplicar no terço que vai mal, não é que o aluno é burro, não. É que às vezes tem um jeito diferente de aprender. Se souber ensinar, o aluno pode virar um gênio. O aluno reprova porque não está sendo ensinado direito.

Vamos preparar todas as escolas, quero ter televisão, instrumento aos professores pra não precisar ficar com giz e quadro negro. Nós estamos na era da Informática, o mundo está se revolucionando. Terão os melhores equipamentos possíveis. Ele vai dar uma aula de fração, não precisa quebrar a cabeça. Ele passa um vídeo com os especialistas explicando para as crianças e a professora dá exercícios. Entenderam? Passa o vídeo de novo. A professora vai ver o que cada um realmente está aprendendo. Porque a hora que ela expõe lá no quadro, ela não sabe se o aluno está aprendendo ou não.

Propostas para a Segurança Pública
A Guarda Municipal imediatamente viraria polícia comunitária. Vamos dividir a cidade em regiões, porque tem lugares que o assalto virou uma loucura. Vou fazer convênio com a Polícia Militar, com a Polícia Civil, com a Polícia Federal, com agentes penitenciários. Eles vão assumir em uma determinada reunião e vão trabalhar em cima de indicadores. Queremos que não tenha mais homicídios. Que não tenha roubo de carro, nem assalto a residência. Que não tenha acidentes de trânsito e eles vão ter um percentual de ganho mensal em cima da redução dos indicadores.

Não adianta ter uma ocorrência que a polícia chega depois. Ela tem que prevenir o fato. Uma polícia inteligente sabe onde mora o assaltante, quem é que vende droga. O dono do bar sabe o valentão que chega lá armado, cantando vantagem e diz que bate na mulher. A professora sabe o aluno que saiu dos trilhos, passando por situação difícil e desumana.

Projeto no Meio Ambiente
Começaremos imediatamente um estudo rio por rio. Constituo uma comissão de engenheiros daqui, não precisaria trazer firma de fora. Pega alunos da UDC e vão estudar o Rio Boicy. A Unila pega o Rio Almada e assim por diante. Os estudantes vão começar a propor soluções. Vamos começar buscar soluções aqui. Porque, o jeito burro de fazer, você traz uma empresa de fora, faz licitação de Projeto de Drenagem em Foz do Iguaçu. Valor de cinco a seis milhões de reais. Sabe quando vão executar? Nunca!

Candidato, recentemente o senhor falou em uma entrevista ser contra a quantidade de radares na cidade. O que pretende fazer com eles e diminuir os acidentes de trânsito?
Vou desligar e rever todos os contratos. Tenho a experiência que quando eu assumi a prefeitura pela primeira vez, era conhecida a “indústria da multa em Foz”. Você não podia dirigir tranquilo. Hoje está assim, também. Você anda uns metros, tem radar. Uma fortuna de multas. E o aluguel desses radares, R$ 1,2 milhão por ano. Aquelas maquininhas porcarias, que fizeram contrato de dois anos e meio. 30 meses, ou seja, 3 milhões de reais, sendo que com 500 mil reais você instala tudo. E colocados em lugares que não tem o menor sentido. Quando entrei na prefeitura, eu desliguei os radares. Sabe o que aconteceu com os acidentes? Abaixaram. E o cara arma uma arapuca que é para ganhar dinheiro. Eu desliguei na primeira semana. Se eu reassumir, vai ser a mesma coisa. Talvez deixemos apenas nos sinaleiros, porque é diferente, tem o choque. Agora pega numa via, por exemplo, como a Avenida das Cataratas. Não tem porquê ter pardal ali. Você tem na Avenida Paraná, na Costa e Silva, estão espalhados pra fazer dinheiro e o povo dirige com o coração na mão. Quando sabem que só tem no sinaleiro, muda completamente.

Agora, imagina só se eu deixo somente nos semáforos. Em vez de R$ 1,2 milhão, eu economizo R$ 600 mil. Em quatro anos são R$ 2,4 milhões. Entende por que essa cidade precisa de um gestor para colocar ordem e recuperar essa questão toda?

Eu ia rever todos esses sinaleiros, colocar sinaleiros auxiliares, pois isso é de uma ignorância sem tamanho. Você pega a Rua Xavier da Silva, chega na Avenida Paraná, o sinal está aberto para quem vai sentido Vila A e você que vem da Xavier da Silva quer virar à direita na Paraná e não há risco de choque nenhum. Poderia colocar um sinaleiro auxiliar, o cara entra à direita. Como não tem sinaleiro auxiliar, o senhor fica esperando abrir aquele, o outro para aí abrir o seu. Mais de um minuto, o seu motor trabalhando, você perde tempo. Isso em apenas um sinaleiro. É uma loucura. A cidade está precisando de gestão, que ela não tem.

Candidato, o que pretende fazer para que Foz do Iguaçu não seja tão dependente economicamente do turismo e eventos?
No primeiro mês, caso eleito, vou procurar o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, e expor o que o vizinho país está sujeito. Sou obrigado a fazer isso, por conta de Foz. As lojas de lá, com o fechamento da fronteira, estão procurando vir para o Brasil. O Brasil está se preparando, quando quiser comprar um produto importado com impostos reduzidos, você não precisará atravessar o Rio Paraná. Vai comprar aqui. Quanto perde o Paraguai com isso? Uma loucura. Vou explicar a ele que as empresas que se instalam lá pela lei de Maquila, por conta da luz mais barata, porque a lei trabalhista é mais simples que iriam vender ao Brasil, eu iria ao presidente Bolsonaro e dizer que quero fazer uma área dessa em Foz do Iguaçu. Para não precisar a empresa ir pra lá, fazer aqui e gerar emprego aqui. A hora que o presidente paraguaio visse isso, ele iria abrir o olho. Quando surge um problema, você tem que procurar um caminho para resolver.

A candidatura do senhor corre algum risco semelhante ao de 2016?
Nenhum. Sou candidato a prefeito, tenho todas as certidões, tenho uma equipe de primeira junto comigo. Nossa chapa de vereadores são do Partido Democratas, Progressistas e do Podemos, que é o meu partido. Temos 66 candidatos. Eu preciso de uma Câmara de Vereadores parceira, não um capacho como essa que está sendo aí, que votaram a rejeição das minhas contas sem saber o que estavam votando, só porque o prefeito mandou. Eu preciso de uma Câmara parceira, que vá atrás, ajude, fiscalize. Não fiscalizar para colocar defeito, mas trazer a solução para o defeito.

Ouça a entrevista completa:


Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas