Portal da Cidade Foz

Ciudad del Este

Diretor de Saúde do Paraguai descarta novo fechamento da Ponte da Amizade

Essa semana um áudio de origem suspeita teria viralizado nas redes sociais, dando conta de um novo fechamento da fronteira, o que a princípio não procede.

Postado em 26/11/2020 às 09:57

(Foto: Divulgação )

O diretor da Décima Região de Saúde do Alto Paraná, no Paraguai, Hugo Kunzle garantiu que não há nenhum pedido ao Ministério da Saúde referente ao novo fechamento da Ponte da Amizade por um período de 15 dias, conforme consta em áudio que foi viralizado pelas redes sociais. Ele disse que recebeu o áudio e ressaltou que não sabe a origem.

O áudio gerou uma aflição entre o setor comercial e os trabalhadores do centro de Ciudad del Este, principal cidade de fronteira paraguaia com Foz do Iguaçu. “Não sabemos a origem desse áudio, já ouvi falar. A gente se encontra regularmente com o pessoal da Vigilância Sanitária do Ministério. No momento, a possibilidade de um novo fechamento de fronteira está totalmente descartada”, afirmou.

Hugo Kunzle pediu que a comunidade se orientasse pelos canais oficiais de comunicação para evitar a circulação de informações falsas, como foi o caso neste caso específico. A versão rápida ganhou as ruas de Ciudad del Este e causou pânico, pois a cidade está em processo de recuperação depois de ficar literalmente trancada por mais de sete meses.

Ele explicou que acompanha de perto o desenvolvimento da pandemia na cidade de Foz do Iguaçu. “Na verdade, estamos preocupados com a situação em todo o Brasil, não só na Foz, que não é uma ilha. Em todo o país vizinho há aumento de casos, há medidas ainda mais rígidas em alguns estados, declaradas zonas vermelhas, com fechamentos e quedas de tráfego. É algo bastante preocupante".

Ele lembrou que em todo o mundo há um crescimento bastante grande. “Na Europa, nos Estados Unidos, então essa é a hora de pegar o touro pelos chifres, voltar a aderir às medidas de saúde e com isso sustentar a doença”.

Pequeno Aumento

O médico confirmou que nesta semana houve um aumento de 10 por cento nos casos positivos na região do Alto Paraná. "Para lembrar, viemos de setembro com a queda de infectados de forma constante até a semana passada", explicou. Ele argumentou que é algo que se observa não só no Alto Paraná, mas em todo o Paraguai. “É algo que realmente nos preocupa. Implica também um ligeiro aumento na ocupação de leitos comuns e terapia intensiva. Achamos que é a consequência de um relaxamento. Não podemos subestimar a doença, não podemos relaxar”.

Ele alertou que a população, mais do que nunca, deve estar atenta ao cumprimento dos regulamentos de proteção para evitar ser infectada pelo covid-19. “Vamos medir semanalmente. Epidemiologicamente, fazemos uma captura de tela da situação semanalmente. Vamos ver como esta semana termina novamente. Se os números que estão aumentando são sustentados ou não”.

Fonte:

Deixe seu comentário