Portal da Cidade Foz

Busca por Soluções

Empresários de Ciudad del Este exigem abertura total da Ponte da Amizade

Eles alegam ser inútil a reabertura gradual, prevista pelo governo paraguaio, de limitar a 500 veículos por dia num primeiro momento.

Postado em 21/09/2020 às 10:57

(Foto: Divulgação)

A população de Ciudad del Este, no Paraguai, especialmente taxistas e empresários, preparam uma nova manifestação nesta terça-feira (22), pedindo pela reabertura da Ponte Internacional da Amizade, principal ligação de fronteira com o Brasil, através de Foz do Iguaçu.

De acordo com veículos de comunicação locais, a capital do departamento de Alto Paraná já chegou ao "fundo do poço", as dívidas aumentam, centenas de empresas entraram em déficit, outras faliram e fecharam as portas, novos desempregados são registrados a cada dia e apontam descaso do governo nacional, diante da atual situação.

A reunião da última sexta-feira (18) foi classificada como um fiasco, pois o vice-ministro da Saúde, Julio Rolón, e o vice-ministro do Comércio, Pedro Mancuello, chegaram a Ciudad del Este sem poder de decisão. Limitaram-se a ouvir a posição dos sindicatos, dos trabalhadores das estradas e das ruas, das autoridades municipais e departamentais.

A voz é unânime: abertura total ou nada, não concordam com a possibilidade de uma abertura parcial ou gradual, porque argumentam que não faria sentido, numa fronteira onde no pior dos casos registra uma circulação diária de cerca de 22 mil veículos. Não se pode falar de outra coisa senão a abertura da fronteira, com os protocolos necessários.

Falar em cerca de 500 veículos por dia é mais um absurdo, disse o empresário Jorbel Greibeler quando questionado. “Seria outro absurdo, não acredito nisso, temos que ter a fronteira aberta, todas as pessoas que entrarem devem fazê-lo de forma organizada, passar por um protocolo que vamos fazer. É uma loucura dizer que apenas 500 pessoas poderão entrar no Paraguai diariamente”.

Encontro

Para esta terça-feira (22) está prevista a presença de mais uma delegação do Governo em Ciudad del Este com autoridades locais e departamentais, bem como representantes das forças vivas. Não se sabe se o protocolo sanitário já estará em vigor para reabrir a ponte. Na reunião de sexta-feira, nenhum progresso foi feito nesse sentido.

De maneira separada, taxistas, mototaxistas e meios alternativos de transporte confirmaram que vão paralisar Ciudad del Este, em uma manifestação por tempo indeterminado, até que a fronteira seja totalmente aberta.

A mobilização tem abertamente o apoio do prefeito Miguel Prieto que divulgou na última sexta-feira uma resolução pela qual fecha as portas do Município por tempo indeterminado até a abertura da Ponte da Amizade.

Prieto disse que a mensagem é clara, assim como a posição do governador Roberto González Vaesken, no sentido de que a cidade não pode mais continuar com a fronteira fechada. “Vamos às ruas indefinidamente desde terça-feira, fazemos causa comum, um pouco de empatia com o setor privado. Fomos muito claros com os representantes do governo, a voz é unânime”, comentou.

Ele disse que chegou a um ponto onde não há volta, muita gente passa fome. “Ciudad del Este não pode mais esperar. Saúdo a atitude do Governo, a sua tentativa de abertura parcial, mas isso é inútil, não ajudará em nada a aliviar. Hoje é uma abertura total ou nada”.

Anunciou que se o governo nacional autorizar a livre circulação na Ponte da Amizade, o Município controlará o cumprimento do protocolo sanitário. “Com essa questão do protocolo, não há segredo, é o uso de máscaras, distanciamento e lavagem constante das mãos”.

Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas