Portal da Cidade Foz

Novos Negócios

Empresas de Ciudad del Este abrem filiais em Assunção para explorar novo mercado

A pandemia obrigou essas lojas a adotarem novas estratégias para se sustentar e conseguir sobreviver às mudanças.

Postado em 12/01/2021 às 09:54

(Foto: Divulgação)

Diante da instabilidade do comércio fronteiriço e da queda nas vendas, três renomadas empresas de Ciudad del Este, no Paraguai, abriram sua filial em Assunção, capital do país. A este respeito, o secretário de Indústria e Comércio do Governo do Alto Paraná, Iván Airaldi, explicou que isso é feito com o objetivo de diversificar os investimentos explorando novos nichos no mercado interno. Nesse contexto, a capital do país tornou-se bastante atrativa com grandes possibilidades comerciais.

Com o fechamento das fronteiras devido à pandemia do coronavírus, o turismo de compras ficou paralisado por vários meses, causando milhões em perdas e em massa de empregos. Essa situação obrigou as casas comerciais a adotarem novas estratégias para se sustentar e conseguir sobreviver às mudanças.

Como resultado de uma análise de mercado, os proprietários das lojas Nissei, Lion e Casa Americana abriram uma filial em Assunção, tendo em conta que durante a quarentena as compras de clientes desta parte do país continuaram a crescer exponencialmente.

Diante deste cenário, Iván Airaldi disse que “a massa de consumo está concentrada na capital do país, por isso as empresas optaram por se instalar ali”. Essa é uma estratégia para continuar gerando vendas e manter a empresa viva.

Entre os pontos a serem destacados, ele mencionou que 73% dos servidores públicos são da região metropolitana, então o mercado hoje está mais estável. “Para nós é positivo, desde que os investimentos sejam feitos dentro do Paraguai”, disse o responsável.

Ele destacou que a migração de empresas ocorre principalmente porque as cidades fronteiriças estão perdendo competitividade em relação às lojas francas do Brasil e da Argentina, para as quais o Congresso Nacional é instado a dar luz verde ao projeto do Regime de Exportações, que dorme no Senado. Este regulamento estabelece um imposto de 4% sobre os produtos vendidos a turistas estrangeiros.

Fonte:

Deixe seu comentário

Mais Lidas