Portal da Cidade Foz

Destruição

Vândalos destruíram cerca de 20 caminhões durante manifestações no Paraguai

Os protestos ocorreram na noite de quarta-feira (29), no centro de Ciudad del Este, em razão do anúncio do governo paraguaio em retornar à quarentena.

Postado em 31/07/2020 às 15:01

(Foto: Divulgação La Clave)

A ação de um grupo de vândalos no Paraguai se passando por manifestantes que protestavam contra a decisão do governo de retornar à fase 0 da quarentena restritiva, deixou 20 caminhões destruídos, sendo dois incendiados. Na quinta-feira (30), o setor foi às ruas para demonstrar e pedir mais segurança às autoridades.

Por várias horas, a rota PY02 foi fechada por membros da organização de transportadores autônomos do Paraguai, que exigiram  garantias de que precisam para continuar trabalhando. Na quarta-feira (29) à noite, 20 caminhões tiveram todos os tipos de danos pelos manifestantes.

Segundo os caminhoneiros, dos 20 veículos, dois foram incendiados e a perda foi total. Na quinta à tarde, eles se reuniram com a Câmara de Exportadores e Comerciantes de Cereais e Oleaginosas do Paraguai (CAPECO) e concordaram em ajudar a recuperar os danos.

Roberto Almirón, líder de caminhoneiros, indicou que respeita as mobilizações populares, mas rejeita o vandalismo de pessoas que afirmam ser manifestantes, mas acabaran atacando outros compatriotas que também são trabalhadores simples, que estão lutando para levar seu pão diário para seus casas.

“É uma pena como eles agiram contra os trabalhadores, por isso demonstramos exigir garantias para poder trabalhar. O dano que causaram aos caminhoneiros foi terrível, é algo que não tem nome ", lamentou o líder.

Segurança

Almirón disse que a intenção era falar com o ministro do Interior Euclides Acevedo, mas no final eles se encontraram com os chefes de polícia locais. “Queríamos pedir garantias ao ministro para poder continuar trabalhando, era a ideia inicial. Não poderia ser, mas nos encontramos com os chefes locais da Polícia Nacional, eles nos disseram que podemos continuar trabalhando, que nos acompanharão e espero que seja assim”, comentou.

"Queremos explicar ao público que também fazemos parte do povo paraguaio, somos trabalhadores humildes, que estamos lutando 365 dias por ano para entregar o pão um do outro para nossas famílias", acrescentou o transportador.

Ele disse que eles transportam comida para o país e para o mundo. "Os cidadãos precisam saber que, graças às transportadoras, aos caminhoneiros, a comida está chegando em sua casa, então, em vez de nos agradecer, estão nos pagando dessa maneira". 

O trabalhador garantiu que há um mal-entendido por parte de muitos setores que se radicalizaram contra caminhões de comércio exterior. "Não somos grandes empresários, como dizem nas redes sociais, somos transportadores pobres, temos um a dois caminhões e estamos lutando dia a dia para levar nosso pão para nossas famílias e pagar nossas contas." Não é como as pessoas dizem e merecemos ter nossos caminhões queimados. ”

O líder lamentou a perda que um dos associados teve com a queima de seus dois caminhões. "Nós somos solidários com ele, acompanhamos os danos dele e os danos sofridos por seus dois caminhões e um carrinho são recuperados".

Fonte:

Deixe seu comentário