Portal da Cidade Foz

Orientação

Gestantes ou puérperas devem vacinar com Pfizer ou CoronaVac na segunda dose

Medida do Ministério da Saúde vale para quem recebeu vacina da AstraZeneca na primeira dose e considera os princípios gerais da imunologia.

Postado em 26/07/2021 às 22:13

(Foto: Christian Rizzi/PMFI)

A Secretaria da Saúde de Foz do Iguaçu recebeu uma nota técnica do Ministério da Saúde atualizando as orientações sobre a intercambialidade das vacinas contra a covid-19. O documento, baseado em estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), orienta os municípios a aplicar as vacinas Pzifer ou Coronavac em mulheres (gestantes ou puérperas) que receberam a primeira dose da AstraZeneca. 

A segunda dose deverá ser administrada no período previamente determinado, respeitando o intervalo adotado para o imunizante utilizado na primeira dose.

“Em Foz do Iguaçu, cerca de 600 gestantes e puérperas receberam a vacina AstraZeneca e a partir de agosto devem receber a segunda dose, que poderá ser a Pzifer ou a Coronavac, a depender do que o município receberá do Governo do Estado”, explica Adriana Izuka, coordenadora do Programa Municipal de Imunização. As segundas doses serão administradas na sede da Vigilância em Saúde através de agendamento on-line. “Quando recebermos as segundas doses, abriremos o agendamento”, assegurou.

De acordo com a nota técnica do Ministério da Saúde, estudos publicados recentemente indicam uma boa resposta imune no esquema de vacinação da fabricante Pfizer e a vacina de vetor viral da AstraZeneca. “Considerando que todas as vacinas objetivam a indução de resposta imune contra o mesmo antígeno, a proteína Spike (proteína S) do vírus SARS-CoV-2, é esperado que uma segunda dose de outra vacina seja capaz de induzir uma amplificação da resposta imune, sendo que a intercambialidade de vacinas está fundamentada nos princípios básicos da imunologia e já é descrita com outras vacinas”, diz o documento. 

Alguns países, como Alemanha, França e Noruega adotaram a possibilidade de esquemas de intercambialidade de vacinas para situações específicas. Além dos dados de segurança favorável, a medida também leva em consideração a importância da segunda dose para garantir a efetividade contra a doença.

"Muito importante essa nota técnica do Ministério da Saúde, que garante às gestantes e puérperas a imunização e uma maior tranquilidade nesse período tão delicado”, comentou a secretária de saúde, Rosa Maria Jerônymo.

O ministério também ressalta que neste momento não está recomendada a administração de doses adicionais (terceira dose) de vacinas contra a Covid.

Fonte:

Deixe seu comentário

Outras notícias

Mais Lidas