Portal da Cidade Foz

proposta

Comércio de Foz do Iguaçu deve reabrir gradualmente a partir do dia 13 de abril

A proposta prevê o cumprimento, de 6 a 12 de abril, das regras sanitárias e reabertura do comércio a partir de 13 de abril.

Postado em 05/04/2020 às 12:58 |

(Foto: Divulgação )

(Foto: Divulgação )

(Foto: Divulgação )

(Foto: Divulgação )

A minuta do plano de retorno gradual e monitorado do comércio foi exposta pela Prefeitura de Foz do Iguaçu à ACIFI nesse sábado, 4. A Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu havia cobrado a apresentação do planejamento no último dia 26 e nesse momento analisa a proposta coletivamente com entidades parcerias da sociedade civil.

Em linhas gerais, o plano para o segundo ciclo de contenção à covid-19 está organizado em três fases para serem implantadas em abril. Entre as medidas previstas estão a implantação do termo de responsabilidade sanitária aos estabelecimentos (para maior proteção de todos) e a reabertura monitorada e regrada de vários setores da economia local.

Coordenado pelo presidente da ACIFI, Faisal Ismail, o encontro, presencial e por teleconferência, contou com participação do prefeito Chico Brasileiro; do secretário municipal de Saúde, Nilton Bobato; da equipe técnica da saúde, Vigilância Epidemiológica e Hospital Municipal; e do promotor Luis Marcelo Mafra, que atua em saúde pública.

A proposta exposta pelo poder público prevê o cumprimento, de 6 a 12 de abril, das regras sanitárias, como adoção de equipamentos de proteção individual (EPIs), limitação de atendimento simultâneo ao público, higienização e distanciamento entre as pessoas, com reabertura gradual do comércio a partir de 13 de abril.

Faisal Ismail frisou que a entidade, já considerando o estudo exposto pelos técnicos da saúde, vai propor ajustes na proposta apresentada pela prefeitura para a reabertura do comércio a fim de minimizar os prejuízos às empresas e preservar empregos sem causar danos à saúde pública.

ACIFI também está elaborando sugestões de alteração no texto do termo de responsabilidade sanitária, bem como a ampliação do escopo do novo decreto. “É necessário definir critérios com isonomia para abranger outros segmentos para além dos relacionados na minuta inicial, sempre com a devida segurança à saúde”, completou.

Município – Chico Brasileiro, que participou por teleconferência, destacou que a proposta leva em conta as atuais condições epidemiológicas e um cenário de controle da covid-19. “O retorno gradual do comércio busca evitar aglomeração de pessoas e conter o número de casos”, disse.

Também participaram da reunião lideranças de instituições da iniciativa privada e do poder público. Juntos, todos estão trabalhando para a retomada do crescimento econômico com adoção de medidas que reaqueçam setores estratégicos atingidos pela pandemia. O encontro teve ainda a presença de vereadores e secretários municipais. 

Fonte:

Deixe seu comentário