Portal da Cidade Foz

doação

Hospital Municipal realizou três captações de órgãos no final de semana

Gesto nobre das famílias ajudou a salvar vidas de pessoas que aguardavam por um transplante.

Postado em 16/05/2018 às 00:30

(Foto: Divulgação/PMFI)

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck (HMPGL) de Foz do Iguaçu realizou no último final de semana, três captações de múltiplos órgãos. Com estes procedimentos, chega a 15 o número de captações em 2018.

Os procedimentos foram coordenados pela equipe da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da instituição, em parceria com as equipes da Santa Casa de Curitiba; Hospital São Vicente de Curitiba; UOPECCAN de Cascavel; Hospital Santa Casa de Rio Grande, de Porto Alegre, e Hospital do Rocio de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba.

Os três jovens doadores, vítimas de disparos de arma de fogo, tiveram a morte encefálica confirmada por meio de rigorosos exames. A Comissão realizou a entrevista junto às famílias, que num gesto nobre, consentiram a doação, dando uma nova possibilidade de vida a pessoas que aguardavam por um transplante. Foram captados: três corações, sendo uma para valva, córneas, rins, fígados, e pulmões.

Secretária da CIHDOTT, Karin Couto explica que a captação começou pelo coração, onde o procedimento é mais delicado. “O coração tem apenas quatro horas para ser transplantado”, ressalta. Já a captação de córneas foi realizada pela equipe de Enfermagem do próprio Hospital Municipal.  Karen lembra que “tudo só foi possível por conta da atitude das famílias, capazes de tomarem uma atitude cheia de valor e significado”.

Para o diretor-presidente do HMPGL, Sergio Fabriz, a conduta dessas famílias que conseguiram, num momento de dor, pensar em salvar a vida de outras pessoas, é exemplo a ser seguido. “É valoroso para nosso crescimento, vivenciar momentos como esse, de solidariedade e generosidade das famílias, mesmo diante da perda”, pontuou Fabriz.

Para ser um Doador 

O passo principal para se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. A doação de órgãos pode ocorrer a partir do momento da constatação da morte encefálica. Em alguns casos, a doação em vida também pode ser realizada, em caso de parentesco de até 4º grau ou com autorização judicial (não parentes).


Fonte: Assessoria

Deixe seu comentário