Portal da Cidade Foz

saúde

Operação da Itaipu elabora documento com ações de prevenção contra o coronavírus

Procedimento é padrão da empresa em casos de surtos virais. Turistas também estão recebendo informações.

Postado em 05/02/2020 às 09:53 |

(Foto: Unplash Free Photos)

A Itaipu Binacional, por meio da Diretoria Técnica, iniciou o processo de elaboração de um documento com ações preventivas para evitar a contaminação das equipes da operação em tempo real da usina pelo novo coronavírus. O plano também irá incluir as medidas emergenciais a serem adotadas caso venha a ocorrer algum diagnóstico positivo para a infecção. O procedimento é padrão e comumente adotado pela empresa em situações de surtos virais, como no caso da epidemia da gripe H1N1, em 2009.

De acordo com engenheiro Cláudio Mota, a elaboração do relatório visa informar e proteger as equipes da operação em tempo real. A previsão é de que até o final da semana o relatório já esteja disponível na Sala de Supervisão e Controle, na Subestação da Margem Direita e na Sala do Despacho de Carga.

“A ideia da emissão do relatório partiu da necessidade das equipes de contar com um documento estruturado contendo ações para evitar uma eventual disseminação do vírus. Essa contaminação poderia comprometer a composição das equipes no tempo real e, consequentemente, prejudicar o processo de produção de energia”, explicou Mota.

Ações no Complexo Turístico Itaipu 

O Complexo Turístico Itaipu (CTI) também adotou medidas de prevenção contra o vírus. No Centro de Recepção de Visitantes (CRV), os turistas recebem informativos sobre os cuidados que devem ser tomados, além de encontrarem vários pontos com álcool em gel disponível.

O gerente do CTI, Yuri Benites, afirma que os guias e recepcionistas também receberão orientações para agir em casos suspeitos. Ainda segundo Benites, não serão adotadas restrições para os novos visitantes que vierem da China, visto que a cidade foco da doença, Wuhan, está isolada.

Novo coronavírus 

O surto do novo coronavírus surgiu em dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, capital da província chinesa de Hubei. Ainda não há uma confirmação oficial sobre como o vírus se espalhou.

Até a última terça-feira (4), a doença havia matado cerca de 500 pessoas na China, e mais de 20 mil casos já estavam confirmados no país. Em outros 24 países, 159 pacientes seguem sendo investigados – todos eles estiveram na China durante o período de contágio.

O Brasil monitora 14 casos suspeitos, entretanto, até o momento, nenhum registro da doença foi confirmado. Apesar disso, os médicos reforçam os alertas de prevenção, como a constante lavagem das mãos e desinfecção com álcool em gel; cobrir a boca e o nariz em tosses ou espirros e evitar o compartilhamento de itens pessoais, como copos e talheres.

Fonte:

Deixe seu comentário